Copa Light de Ciclismo coroa equipe Funvic em sua sétima edição

Luciene Ferreira e Francisco Chamorro venceram as principais categorias da competição

Copa Light de Ciclismo

“Hoje eu me imaginei como se estivesse na Olimpíada”, disse a atleta de elite Luciene Ferreira ao cruzar em primeiro lugar a linha de chegada da Copa Light de Ciclismo, na manhã deste domingo, dia 2. Sensação que certamente foi compartilhada pelos 430 participantes do evento, profissionais ou não, que tiveram a oportunidade de competir na Enseada de Botafogo, local que servirá de cenário para o ciclismo de estrada dos Jogos Olímpicos Rio 2016. A sul-matogrossense confirmou o favoritismo e garantiu o bicampeonato da competição.

Na competição masculina, quem levou a melhor foi o argentino Francisco Chamorro, que assim, como Luciene, representava a equipe Funvic, de São José dos Campos, uma das principais do país. No paradesportivo o vencedor foi Lauro Chaman, da Memorial Santos, que se sagrou campeão do evento pelo segundo ano consecutivo e um dos prováveis nomes na Seleção Brasileira Paralímpica de 2016. Os participantes estavam divididos em 17 categorias, que percorreram um circuito de 4.38km por volta.

Luciene destacou o alto nível entre os competidores e reforçou o discurso de diversos atletas sobre a importância da Copa Light de Ciclismo no cenário nacional. “Essa foi a terceira vez que participei desta prova, na primeira vez fiquei em segundo lugar e agora conquistei o bicampeonato. A Copa Light é de grande importância, primeiro porque é no Rio e segundo porque conta pontos no ranking nacional e nos traz evidência para melhorar a pontuação individual e ficar mais perto das Olimpíadas de 2016. Eu sonho estar aqui em 2016 e quem sabe repetir o resultado”, conta a vencedora.

Marido de Luciene, Magno Nazaret, atleta que esteve nas Olimpíadas de 2012, não foi o vencedor da Copa Light de Ciclismo, mas teve papel decisivo para a vitória de Chamorro. Nazaret liderou o pelotão de elite por quase toda a prova, mas no final, estrategicamente, abriu para a vitória do companheiro de equipe.

“Ciclismo é um esporte coletivo. Já havíamos combinado essa estratégia antes da prova e não tinha porque fazer diferente, conta Magno”. “A gente sempre precisa da ajuda dos companheiros para controlar os adversários. Como velocista da equipe, essa prova tinha as minhas características e o Magno teve o papel de me ajudar. Foi muito emocionante vencer a Copa Light. O lugar é fantástico e a estrutura impecável. O meu objetivo é continuar competindo para que possamos ter ainda mais provas desse nível para disputar”, completa Chamorro.

Um dos atletas mais animados com a prova era o paraciclista Lauro Chaman, que competiu em três categorias diferentes: paradesportivo, master e elite. Lauro também se prepara para os Jogos Olímpicos.

“A prova é importante porque mostra a nossa modalidade para todos. Fora do Brasil o paraciclismo é muito forte, mas infelizmente aqui não é tão divulgado e não tem tanto espaço. Por isso a Copa Light é tão fundamental para gente. Eu fico muito satisfeito em poder participar mais uma vez. É uma competição que valoriza muito o nosso trabalho”, afirma.

A sétima edição da Copa Light de Ciclismo contou com uma novidade. Dentre as 17 categorias apresentadas, uma foi destaque absoluto: a junior feminina, que estreou na competição com seis participantes. A vencedora foi Taina Araújo de Lima, de 17 anos, que em boa parte do percurso andou de igual para igual com as atletas de elite.

“Eu estava muito ansiosa para vir correr no Rio, que é um lugar que eu sempre tive vontade de conhecer. Foi emocionante ficar tão perto do pelotão principal. O ciclismo vai ser o meu futuro com certeza”, disse a santista que está no esporte há cinco anos.

Para a organizadora da Copa Light de Ciclismo, Luisa Jucá, a sétima edição superou todas as expectativas. A idealizadora do evento fez questão de ressaltar a importância da participação da categoria junior feminina, que não é contemplada em nenhuma prova do Brasil.

“Essa categoria vai nos ajudar a descobrir novos talentos. Se não houver investimentos para descobrir novos nomes, não vamos evoluir. São 54 medalhas olímpicas, precisamos investir no futuro, pois só assim vamos garantir novos nomes no ciclismo. Antes da criação Copa Light, o Rio não contava com nenhuma prova e hoje nós temos o maior número de eventos no Brasil. Essa prova foi um divisor de águas no nosso país”, ressalta Luisa.

A Light é patrocinadora da competição realizada pelo Instituo FAÇA. A Copa Light de Ciclismo é homologada pela Confederação Brasileira de Ciclismo (CBC) e a Federação de Ciclismo do Estado do Rio de Janeiro. A supervisão técnica é da CBC e da Federação de Ciclismo do Estado do Rio de Janeiro (Fecierj).

“Essa é mais uma forma de nos aproximarmos com o nosso cliente. Os olhos estão voltados para o Rio de Janeiro e isso traz ainda mais visibilidade para a cidade, e quanto mais investimento, melhor para o cidadão do Rio. É gratificante saber que os atletas estão satisfeitos com a Copa Light de Ciclismo, isso nos faz querer continuar com o projeto. Afinal, em time que está ganhando não se mexe”, completa o gerente do Instituto Light, Paulo Bicalho.


31/8: Espanhol Oscar Sevilla garante camisa amarela do Tour do Rio pelo segundo ano consecutivo

A vitória na sexta e última etapa, com chegada na Quinta da Boa Vista neste domingo, dia 31, ficou com o brasileiro Rafael Andriato (Neri Sottoli Yellow Fluo Pro)

Tour do Rio

Foi com muito sol e a Quinta da Boa Vista lotada que Oscar Sevilla (EPM UNE) vestiu em definitivo a camisa amarela e pode comemorar o bicampeonato individual geral do Tour do Rio neste domingo, dia 31. O ciclista espanhol, 16º lugar na sexta e última etapa, percorreu os 997km ao longo da semana com o tempo total de 23h15min13s, dez segundos à frente do segundo colocado, o compatriota Gustavo Veloso (OFM Quinta da Lixa). O Brasil teve lugar no pódio, com a terceira colocação de Kleber Ramos (Funvic Brasilinvest), que levou para casa a camisa branca com bolas vermelhas, de melhor montanhista da competição. O prêmio de melhor atleta Sub-23 (camisa branca) foi para Mektel Eyob (World Cycling Centre), da Eritreia. A equipe campeã foi a brasileira Ironage Colner, com 69h48min52s.

O vencedor da etapa deste domingo, entre Rio das Ostras e Rio de Janeiro (180,7km), foi o brasileiro Rafael Andriato (Neri Sottoli / Yellow Fluo Pro), que arrancou nos metros finais para marcar 3h37min22s. Na segunda posição ficou o cubano Michel Garcia (São Francisco Saúde/ Açúcar Caravelas / Gold Meat), seguido do argentino Cristian Clavero (Ironage Colner), o melhor velocista do Tour e detentor da camisa verde.

Camisa amarela desde o final da primeira etapa, Oscar Sevilla conseguiu administrar a vantagem desde o início. O bicampeão lembrou das pessoas que o ajudaram nesses seis dias de competição. “Foram dias muito duros, intensos e de muito cansaço físico e psicológico. Nessas horas o trabalho em equipe dos meus companheiros foi essencial. Algumas vezes pensamos que não iremos conseguir segurar tanto desgaste, mas aí eles vêm e te ajudam, te carregam e isso fez a diferença. Agradeço muito também ao meu treinador (Gabriel Mesa) e aos meus familiares. Dedico o título a todos eles”, comemorou Sevilla.

A última etapa

Caracterizada pelo fim das montanhas, a sexta e última etapa do Tour do Rio foi marcada pela forte movimentação, constantes ataques de fugas e pela velocidade média de quase 50km/h no plano. As equipes se atacaram bastante por todo o percurso e a expectativa era grande para saber se Oscar Sevilla (EPM UNE) ia conseguir segurar a vantagem de dez segundos sobre o segundo colocado geral Gustavo Veloso (OFM Quinta da Lixa). A emoção maior ficaria nos últimos dez quilômetros. A velocidade média do pelotão chegou a 52 km/h, com alternância de ataques e fugas e com até cinco líderes naquele momento. No último quilômetro, com todo pelotão compacto, Rafael Andriato e Michel Garcia travaram uma grande disputa pela primeira colocação, levando a torcida ao delírio. No final, melhor para o brasileiro.

“Nossa! Foi incrível! Sem palavras para explicar essa vitória, talvez por conta da exaustão (risos). Estou muito feliz de conseguir ganhar três etapas duríssimas do Tour do Rio. É muito bom chegar aqui e receber o carinho da torcida. Ganhar em casa tem um gosto especial. A competição é muito difícil, na Europa, por exemplo, as etapas são bem definidas, um dia você só tem montanha, no outro você só tem pista plana. Aqui você tem todos os dias, tudo misturado. É um grande teste físico e psicológico. Sem contar o visual que é lindo demais. Agora é só descansar e celebrar com a minha família esse título”, explicou Rafael Andriato.

Brasileiro mais bem colocado na classificação individual geral, Kleber Ramos fez uma análise do seu desempenho e da equipe ao longo do Tour. “Entramos no Tour do Rio pensando no pódio na classificação individual e na conquista da camisa de montanha. Conseguimos conquistar ambos. Hoje (domingo) a equipe fez um belo trabalho neutralizando as fugas. Ainda tentei um sprint no final e garanti o quarto lugar nessa etapa. Estou muito feliz pelo que fizemos ao longo da semana”, contou o atleta.

Diretora Geral do Tour do Rio, Maria Luisa Jucá adiantou que haverá mudança de percurso para a edição de 2015, com etapas em outras cidades. A única já garantida é Três Rios. Além disso, há a expectativa de que o evento suba na escala técnica da União Ciclística Internacional. “Vamos aguardar a avaliação da UCI para sabermos se o Tour do Rio passará a ser um evento 2.1 na escala internacional. Isso nos permitirá aumentar ainda mais o nível técnico. Nesta edição tivemos duas equipes brasileiras ocupando o lugar mais alto do pódio e isso comprova a evolução do ciclismo nacional ao longo desses últimos cinco anos. Posso dizer que elas estão prontas para competir com as equipes internacionais”, garantiu.

Paulo Vieira, presidente da Comissão Técnica da Lei de Incentivo ao Esporte, também prestigiou a chegada da 5ª edição do Tour do Rio. “Este é o quinto ano que a Lei incentiva o evento. Desde 2007 foram mais de R$ 1 bilhão investidos no esporte. O Instituto Faça (realizador do Tour do Rio) está de parabéns não só pela competição mas por todas as outras atividades relacionadas ao fomento do ciclismo”, disse.

Classificação Individual na Etapa:
1) Rafael Andriato (Neri Sottoli/Yellow Fluo Pro) – 3h37min22s
2) Michel Garcia (São Francisco Saúde) – mesmo tempo
3) Cristian Clavero (Ironage Colner) – mesmo tempo
4) Kleber Ramos (Funivc Brasilinvest) – mesmo tempo
5) Jaime Castañeda (EPM UNE) – mesmo tempo

Classificação Individual Geral
1) Oscar Sevilla (EPM UNE – Colômbia) – 23h15min13s
2) Gustavo Veloso (OFM / Quinta da Lixa – Portugal) – a 10s
3) Kleber Ramos (Funvic Brasilinvest) – a 1min21s
4) Gregolry Panizo (Clube Dataro de Ciclismo) – a 1min29s
5) Wilian Chiarello (Clube Dataro de Ciclismo) – a 1min52s

Classificação por Equipe na Etapa:
1) EPM UNE (Colômbia) – 10h52min06s
2) OFM/Quinta da Lixa (Portugal) – mesmo tempo
3) São Francisco Saúde (Ribeirão Preto) – mesmo tempo
4) Leopard Development Team (Luxemburgo) – a 09 segundos
5) Neri Sottoli/Yellow Fluo Pro (Itália) – a 11 segundos
6) Clube Dataro de Ciclismo (Cascavel) – mesmo tempo
7) Ironage Colner (Sorocaba) – mesmo tempo
8) World Cycling Centre (Africa) – mesmo tempo
9) Equipe UFF de Ciclismo (Rio de Janeiro) – mesmo tempo
10)Funvic Brasilinvest (São José dos Campos) – a 17 segundos

Classificação Geral – Equipes
1) Ironage Colner (Sorocaba) – 69h48min52s
2) Clube Dataro de Ciclismo (Sorocaba) – a 2min29s
3) EPM UNE (Colômbia) – a 4min48s
4) OFM Quinta da Lixa (Portugal) – mesmo tempo
5) São Francisco Saúde (Ribeirão Preto) – a 19min37s
6) Funvic Brasilinvest (São José dos Campos) – a 29min21s
7) Neri Sottoli/Yellow Fluo Pro (Itália) – a 30min42s
8) Leopard Development Team (Luxemburgo) – a 1h18min51s
9) World Cycling Centre (Africa) – a 1h35min12s
10) Equipe UFF de Ciclismo (Rio de Janeiro) – a 2h33min15s

Pontos na Etapa
1) Rafael Andriato (Neri Sottoli/Yellow Fluo Pro) – 10 pontos
2) Michel Garcia (São Francisco Saúde) – 7 pontos
3) Cristian Clavero (Ironage Colner) – 5 pontos
4) Kleber Ramos (Funvic Brasilinvest) – 3 pontos
5) Jaime Castañeda (EPM UNE) – 2 pontos

Geral Pontos
1) Cristian Clavero (Ironage Colner) – 56 pontos
2) Rafael Andriato (Neri Sottoli/Yellow Fluo Pro) – 40 pontos
3) Oscar Sevilla (EPM UNE) – 22 pontos
4) Kleber Ramos (Funvic Brasilinvest) – 21 pontos
5) José Rodrigues (Ironage Colner) – 16 pontos

Geral Montanhas
1) Kleber Ramos (Funvic Brasilinvest) – 46 pontos
2) José Rodrigues (Ironage Colner) – 28 pontos
3) Alan Maniezzo (São Francisco Saúde) – 21 pontos

Geral Juventude (Sub-23)
1) Metkel Eyob (World Cycling Centre Africa)
2) Peterson Neves (Ironage Colner)
3) Marco König (Leopard Development Team)


Última etapa da Copa Rio de Janeiro de Ciclismo em Itaipava

Copa Rio de Janeiro de Ciclismo

A quinta e última etapa da Copa Rio de Janeiro de Ciclismo foi realizada neste domingo (20) no distrito de Itaipava, em Petrópolis. Com número recorde de participantes, esta fase registrou 410 inscritos nas 19 categorias. A largada aconteceu às 10h em frente ao Parque Municipal. No trajeto de 27 quilômetros, os ciclistas percorreram um trecho da Estrada União e Indústria e parte da BR-495, estrada que liga o distrito a Teresópolis, também na Região Serrana.

A largada foi feita em pelotões separados por categorias. A saída no parque aconteceu em marcha lenta e somente na BR-495 foi dada a bandeirada para que os ciclistas aumentassem a velocidade. Além do recorde nas inscrições, a etapa de Petrópolis também teve um diferencial, que é categoria ‘Mountain Bike’. A prova também conta pontos para os campeonatos estadual e nacional.

Os vencedores de Itaipava foram:

Elite Masculina
1 Cristian Engidio da Costa – Dataro (50:14:00)
2 Alex Arseno – Funvic (50:42:00)
3 David Leite Silva – Equipe UFF de Ciclismo (51:00:00)

Elite Feminina
1 Camila Coelho Ferreira – Memorial (56:48:00)
2 Rebeca Fonceca – Equipe Suzano (01:01:29)
3 Livia Bustamenta – OCE – (01:01:35)

Equipes que lideram o ranking nacional estiveram presentes. Entre elas destaca-se a Dataro, segunda melhor do país conforme ranking da Confederação Brasileira de Ciclismo. Memorial Santos, UFF, Taubaté e Superfones também foram representadas por alguns atletas.

O grande crescimento do número de participantes da Copa deixa organizadores otimistas em relação ao ano de 2015. Luísa Jucá, diretora geral do evento, afirma: “Em 2014, o crescimento da Copa foi mais de 150%. Isto revela não só a vocação do Estado do Rio de Janeiro para o ciclismo, mas também o valor que o público dá a competições bem organizadas e com diferenciais como os locais das provas e a existência de diversas categorias. Iniciativas como esta fortalecem o ciclismo de ponta, permitem descoberta de novos talentos e promovem mobilidade urbana. Estou muito feliz com o resultado de 2014 da Copa Rio de Janeiro de Ciclismo”.

O patrocínio máster da competição é da Bradesco Seguros. Demais patrocinadores são: IRB Brasil RE, Light, Peugeot, Lei de Incentivo ao Esporte e Ministério do Esporte.

O evento tem o apoio da Prefeitura de Petrópolis e Tour do Rio e a realização é do Instituto FAÇA e com supervisão técnica da Confederação Brasileira de Ciclismo (CBC) e Federação de Ciclismo do Estado do Rio de Janeiro.